Já ouviu falar em microagulhamento? Saiba porque esse procedimento vem se popularizando

Você já ouviu falar em microagulhamento? Esse procedimento estético tem chamado bastante a atenção de quem aposta nos tratamentos clínicos para cuidar da aparência da pele do corpo e, principalmente, do rosto.

O que é o microagulhamento?

Também conhecido por Indução Percutânea de Colágeno por Agulhas (IPCA), o microagulhamento é um procedimento dermatológico baseado em diversas agulhas bem pequenas que perfuram as camadas da pele para estimular o colágeno. De acordo com o médico, “o tratamento pode ser realizado através de diferentes técnicas – desde pequenos rolos que sustentam as agulhas ou equipamentos mais modernos, automáticos, nos quais podemos regular a profundidade das agulhas e associar técnicas como a radiofrequência”, explicou.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Para que serve o procedimento?

Segundo o Dr. André, o microagulhamento pode ser utilizado em diversos tratamentos da pele. Entre eles, podemos citar: cicatrizes de acne, estrias, flacidez, calvície e até mesmo melasma – manchas escuras que costumam aparecer na pele do rosto.

Como é feito o microagulhamento?

O dermatologista conta que o procedimento é realizado no próprio consultório médico da seguinte forma: “Primeiro, é feita uma anestesia na área da pele que será tratada. Em seguida, é hora da realização do microagulhamento. A escolha da técnica é feita pelo dermatologista, que irá utilizar os rolos ou equipamentos automáticos de acordo com a necessidade de cada paciente”, disse.

Quando os rolos são utilizados, o médico deve escolher previamente o tamanho das agulhas, pois cada rolo tem uma profundidade fixa. Já os equipamentos mais modernos, permitem o ajuste do tamanho das agulhas durante o tratamento, podendo regular a profundidade desejada para cada local na mesma sessão. “Tudo vai variar de acordo com a necessidade do tratamento, atingindo camadas diferentes da pele, conseguimos resultados melhores para tratar problemas mais complexos, como manchas ou cicatrizes”, afirmou.

O tratamento dói?

A dor pode variar de acordo com a região a ser tratada: “Quando temos pequenas áreas que podem ser totalmente anestesiadas o procedimento não é doloroso. Porém, pacientes que necessitam de tratamentos em grandes regiões, acabam sentindo algum desconforto durante o procedimento”. Apesar disso, mesmo os pacientes mais sensíveis toleram bem o tratamento.

Quais cuidados devemos ter com a pele após a técnica?

Feito o microagulhamento, a pele trabalhada precisa receber cuidados especiais durante algum tempo, como o uso diário do filtro solar e cremes cicatrizantes. “Ainda assim, o dermatologista poderá utilizar produtos que aumentem o resultado, aplicando-os logo após a sessão”, afirmou.

Existem riscos ou contraindicações?

O Dra. André garante que a maioria das pessoas podem realizar o procedimento e que existem poucas contraindicações como, por exemplo, pacientes que fazem o uso de anticoagulantes. “É importante que as pessoas saibam que o procedimento possui riscos e que durante a sessão a pele é rompida pelas agulhas podendo causar infecções bacterianas, a reativação de quadros de herpes, entre outras complicações”, informou.

Por isso, é tão importante que o tratamento seja feito em um consultório dermatológico com a utilização de materiais estéreis e descartáveis a fim de garantir a sua segurança.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *