Tunelização dérmica: entenda o tratamento

Tunelização dérmica é uma técnica cirúrgica que utiliza agulhas, introduzidas na pele, para descolar as traves fibróticas. Dessa forma, estimula-se a produção de colágeno sem remover a epiderme. Por isso é eficiente no tratamento de cicatrizes deprimidas, cicatrizes de acne, rugas estáticas e flacidez da face. No entanto, não é recomendado para gestantes e pacientes que estejam utilizando medicamentos anticoagulantes.

Como a tunelização dérmica é feita?

Uma agulha estéril de grosso calibre é introduzida por via transepidérmica até a derme, em um trajeto canalicular. Assim, rompe as traves de fibrose existentes e cria túneis dentro da derme alterada.

A área que receberá o tratamento é demarcada e previamente higienizada. É possível que se formem hematomas na região, inchaço leve a moderado no dia seguinte e sangramento nos orifícios pelos quais as agulhas foram inseridas.  A tunelização dura, em média, 30 minutos.

Pós-procedimento

Não é preciso fazer suturas, pois a lesão que a agulha causa na pele é menor do que um milímetro. É preciso, em alguns casos, apenas protegê-las com fita microporosa, que permite a transpiração. Posteriormente, cerca de 12h ou 24h depois, essa proteção pode ser removida para a higienização da área. Além disso, a limpeza deve ser feita com água e sabão, sem necessidade de reaplicar o curativo.

É recomendado evitar a exposição solar e aplicar filtro protetor tonalizado no período pós-operatório, que deve ser reaplicado a cada duas horas. O edema pode aumentar nos primeiros dias após a tunelização, mas os hematomas somem em até uma semana. Entretanto, caso surjam alguns nódulos, é preciso aguardar um mês para que desapareçam. O paciente pode voltar para suas atividades normais após dois ou três dias.

Em muitos casos, apenas uma ou duas sessões do procedimento cirúrgico é suficiente para que o organismo estimule a produção de colágeno em benefício da pele. Mas, às vezes, pode ser indicada mais sessões. O dermatologista avalia essa necessidade de acordo com o grau do problema a ser tratado e do resultado alcançado na primeira vez.

Na maioria das vezes utilizamos outras técnicas associadas para um resultado melhor de tratamentos de cicatrizes de acne da face. Nesse sentido, os métodos mais comumente associados são, por exemplo, microagulhamento, laser de co2 fracionado, entre outros. Além disso, a tunelização pode ser executada inclusive no mesmo momento desses outros procedimentos.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *